Palmares, 28 de junho de 2022

Sobre o Livro de Daniel – Dn 3,31 – 4,15

05 de dezembro de 2020   .    Visualizações: 240   .    Palavra do Bispo

Constantemente, o Livro de Daniel faz referências ao Reino de Deus, que subsistirá para sempre: “Seu Reino é Reino eterno e Seu domínio vai de geração em geração” (3,33).

Num tempo em que o Povo de Deus era massacrado pelos grandes reinos do mundo, este texto sagrado recordava constantemente a Israel que todos os reinos passam, que todos os magnatas e dominadores dos povos desaparecerão, que todas os poderes e ameaças ao Povo santo tornar-se-iam pó que o vento leva!

Trata-se, realmente, este Livro, de um texto de advertência, de consolação de esperança: só o Senhor é Deus, só o Senhor é Rei! É Ele quem enche Daniel “dos espíritos dos deuses santos” (Dn 4,6 – palavras estas de um gentio: Nabucodonosor). Na verdade, Daniel é cheio da plenitude do Espírito do Deus Santo. Impelido por este Espírito Santíssimo, Daniel proclama a todo o momento, com insistência, o Senhorio absoluto de Deus “a fim de que todo ser vivo saiba que o Altíssimo é quem domina sobre o reino dos homens” (4,14b).

Nos nossos dias, quando o homem, mais que nunca, pensa que pode construir sua vida pessoal e coletiva sem referência a Deus, nos nossos tempos de desprezo quase total pela soberania do Senhor, nesta época que corre, em que mesmo tantos e tantos e tantos que se dizem crentes, na verdade, mesmo dentro da Igreja, não creem a não ser num ídolo, feito à imagem e semelhança da conveniência dos pecados, dos vícios e patifarias humanas, deus moldado segundo o politicamente correto e pagãmente aceitável, deus que mima o pecado e o pecador e não o chama à conversão, deus aprovado pelos meios de comunicação, deus que não incomoda, não converte ao Absoluto, não impele para o Alto, deus sem transcendência, deus não segundo as Escrituras Santas, não segundo a fé da Igreja, deus que quase nada tem a ver com o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, numa época assim, o Livro de Daniel é sumamente atual e instigante. É preciso repetir diante de todos e de tudo, sem exceção ou descontos: Seu Reino é Reino eterno e Seu domínio vai de geração em geração!” (3,33). Somente a Ele a honra, o temor, a glória, o amor, a adesão absoluta, pelo Filho Senhor no Santo Espírito, pelos séculos dos séculos. Amém.

Dom Henrique Soares da Costa
Bispo de Palmares (PE)


Fonte: Visão Cristã
Foto: Pinterest