Palmares, 28 de outubro de 2020

A Diocese

A Diocese de Palmares foi criada no dia 13.01.1962, pela Bula “Per amplas Ecclesias” do Papa João XXIII, com território desmembrado da Arquidiocese de Olinda e Recife e da Diocese de Garanhuns.

Situação Geográfica
Localizada ao Sul-oriental do Estado de Pernambuco. Limites: Oceano Atlântico, Arquidiocese de Olinda e Recife (PE) e Arquidiocese de Maceió (AL), Diocese de Caruaru (PE) e Diocese de Garanhuns (PE).
Superfície: 3.797 km².
População: 461.293. Número de Católicos: 286.200 – Fonte: IBGE 2010
Municípios: Água Preta, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Cupira, Gameleira, Jaqueira, Joaquim Nabuco, Lagoa dos Gatos, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré e Xexéu.

Escudo: De verde, uma Cruz de prata, firmada nos seus bordos, da qual brotam, no contra-chefe, duas canas; sobre o contra-chefe, à direita, as letras “MP” e à esquerda, as letras “OY”, sendo tudo do mesmo metal. Sobre o centro da Cruz, um coração de vermelho, flamejante, lanceado e gotado do mesmo esmalte. Insígnias: Mitra dourada e forrada de vermelho, Cruz Processional e Báculo, ambos de ouro.
Explicação: O verde, do campo do escudo, é a cor litúrgica da esperança, que sucede a Pentecostes e antecede o Advento da Paixão de Cristo no Calvário. No plano temporal, o verde é a expectativa de bonança para a Diocese, alude às origens do topônimo da cidade sede-diocesana, pelas palmas, e, ainda hoje, pelos canaviais. Prepondera, no escudo, a Cruz – principal símbolo do Cristianismo – de prata por traduzir pureza e simplicidade, ostentando o Sagrado Coração de Jesus que é o próprio Cristo lanceado no Gólgota. Este emblema do Crucificado, como oportuno, tem o patrocínio de Maria, sua Mãe Gloriosa – Testemunha do Supremo Sacrifício do Filho Unigênito – Mãe de Deus e da Igreja, Rainha do Universo e Guia da Nova Evangelização, que está simbolizada nas letras gregas “MP” e “OY” significativas de “Mãe de Deus” .É Padroeiro dessa Diocese o Coração de Jesus. Sua devoção é dedicada ao Amor, retratado pelo Coração de Jesus que, no seu abandono, na Cruz, melhor exprime a Divina Caridade, quando se deixou imolar pela Salvação da humanidade. No fecho da simbologia destas armas eclesiais, sobressai, como dileta expressão, o Amor do Sagrado Coração de Cristo aos diocesanos de Palmares, aqui, alegados nas canas de prata, absolutamente heráldicas e simbólicas. Em sua Missão Evangelizadora, a Diocese de Palmares deve ser um Sinal do Coração de Jesus, na busca árdua pelo melhor serviço a Deus e à Sua Igreja peregrina.

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus é a devoção ao amor de Jesus.
O momento em que Jesus mais amou foi, sem dúvidas, quando, na cruz, sentiu o abandono do Pai e gritou:
“Pai, porque me abandonaste?”. Por isso, achamos que Jesus no seu abandono, na cruz, é a melhor expressão do seu divino coração, sendo escolhido como Imagem oficial do Padroeiro da nossa Diocese. Esta imagem foi criada por Dom Acácio Rodrigues Alves – 1º Bispo da Diocese de Palmares.

ORAÇÃO
Nós te glorificamos, Senhor Jesus
Tu te abaixaste- para nos salvar
Tu te humilhaste- para nos exaltar
Tu te fizeste pobre- para nos enriquecer
Homem nasceste- para que pudéssemos nascer
Jejuaste, Senhor,- e mataste nossa fome
Prisioneiro te fizeste- e nos libertaste
Foste julgado criminoso- e nos deste a inocência
A ti as bofetadas- a nós o teu carinho
Despojamos-Te das vestes- e nos revestiste de graça
Nós te crucificamos- e tu nos salvaste
A Ti a morte- a nós a vida
Mas ressuscitaste- para repartir conosco tua glória
Subindo ao céu- para o alto nos atraís
Enviaste o Paráclito à Igreja- para que sejamos Santos.

Amém

FacebookWhatsAppTwitter