Palmares, 28 de maio de 2024

Do Mayor, uma ideia menor…

26 de novembro de 2019   .    Visualizações: 460   .    Palavra do Bispo

Ontem, li uma entrevista do astrofísico suíço Michel Mayor, um dos ganhadores do Nobel de Física deste ano por ter descoberto um exoplaneta, isto é, um planeta fora do nosso sistema solar. Lá para as tantas, o entrevistador fez a seguinte pergunta:

“Giordano Bruno, que foi queimado pela Igreja no século XVII, propôs que existem muitos outros sistemas solares no universo, o que não concorda com o relato cristão da criação. Qual é o lugar de Deus no universo?”

A resposta de Michel Mayor:

“A visão religiosa diz que Deus decidiu que só houvesse vida aqui, na Terra, e a criou. Os fatos científicos dizem que a vida é um processo natural. Eu creio que a única resposta é investigar e encontrar a resposta, porém para mim não há lugar para Deus no universo”.

O que dizer deste diálogo?

Deixando de lado o modo maldoso com o qual o jornalista fez a pergunta, é preciso corrigi-lo:

Primeiramente, Giordano Bruno, frade dominicano, foi condenado e queimado pela Inquisição não no século XVII, mas no século XVI, em 1600. E não foi condenado por questões meramente científicas, como o entrevistador levemente insinua, mas por heresia a respeito de vários pontos da fé cristã: doutrina sobre a Trindade, sobre Cristo, sobre a transubstanciação…

Em segundo lugar, o relato da criação não é simplesmente cristão, como afirma o jornalista; é bíblico e, portanto, diz respeito também ao judaísmo! Não sei se o entrevistador de uma Espanha  hoje descristianizada e, em larga escala, anti-clerical, sabe que o Antigo Testamento nasceu no seio do povo de Israel e é também livro sagrado dos judeus… Talvez nem isto saiba… Então, o Gênesis não é simplesmente um “relato cristão”…

Mas, o que espanta mesmo é a resposta do astrofísico! Pode-se ser um grande astrofísico e um grande ignorante em outras áreas; isto não é demérito para ninguém… Mas, quando um grande cientista se mete a comentar temas que não compreende e para os quais não tem competência  acadêmica porque os ignora, comporta-se como um grande tolo. É o caso, aqui, do tolo Michel Mayor…

Primeiramente, de qual “visão religiosa” esse senhor está falando? Não é justo, não é condizente com a realidade colocar todas as religiões num saco só… Há tantas visões religiosas, com cosmogonias tão diversas… Seria de se esperar de um cientista um pouco mais de exatidão…

Depois, nem o judaísmo nem o cristianismo afirmam de modo dogmático que “Deus decidiu que só houvesse vida aqui, na Terra”… Isto é uma lorota de ignorante, um grosseirão em teologia…
Numa linguagem própria da época em que o texto foi escrito e usando ideias desse tempo e dessa cultura, a Sagrada Escritura dá conta de que tudo foi criado por Deus, foi criado livremente e tudo quanto Ele criou é bom. Este é o ensinamento que importa: tudo foi criado por Deus livremente, Deus tirou tudo do nada e tudo quanto Ele criou é bom: “No princípio Deus criou o céu e a terra… E Deus viu que era bom!”

Em terceiro lugar: não é dogma judaico ou cristão que Deus decidiu que só existisse vida na terra… Parece que depois do catecismo básico para a primeira comunhão na primeira metade do século passado, esse senhor astrofísico não leu mais nada de sério sobre a fé cristã! Deveria, portanto, sobre estes temas, calar a boca!

O que o cristianismo sabe e afirma é que exista o que existir no universo, inclusive algum tipo de vida, tudo é criação de Deus e é radicalmente bom! As Escrituras Sagradas não são uma obra de filosofia sistemática ou de astrofísica, não se preocupam com outra coisa que não a relação do homem e do mundo do homem com Deus! A finalidade das Escrituras é nos falar sobre Deus em relação conosco, Deus que Se dirige a nós e de nós espera uma resposta: a fé! A Escritura não é um tratado sobre tudo e muito menos numa abordagem científica ou filosófica…

Em quarto lugar, outra bobagem recorrente entre cientistas que pensam saber tudo do cristianismo sem saberem quase nada: a ideia de que afirmar que Deus criou tudo se choca com a teoria da evolução: se Deus criou tudo, a criação não poderia ser um processo natural… Pura lorota!

Já na metade do século passado, desde os tempos de Pio XII, o Magistério da Igreja admitia que não há contradição entre as duas ideias: criação e evolução… É doutrina de fé da Igreja que Deus criou tudo do nada. O modo como esta criação evoluiu, as leis que o Senhor Deus nela imprimiu, não pertence à Igreja dizer nada sobre isto… É competência das ciências e a elas cabe investigar, descobrir as leis e processos que o Criador , de modo admirável, imprimiu na Sua obra!

Conclusão: o senhor “Mayor” ficou “menor” com a resposta boba que deu! Mostrou que precisa caminhar muito para saber algo realmente sério sobre a fé e o cristianismo… Ele acertou ao afirmar que o único modo de saber se há vida além do nosso planeta é pesquisar, mas errou de modo lastimável quando julgou que não há lugar para Deus no universo…

Que interessante: um bichinho tão pequenininho, tirado do pó da terra, que não sabe de onde vem tudo nem para onde vai, que não sabe quase nada a respeito desta estupenda e misteriosa realidade que são a existência e o universo (ou universos), ousa afirmar que não há lugar para um Criador no universo porque não cabe na sua razão ou não foi visto no seu telescópio! Incrível!

De onde vem tudo? Por que existe o ser e não o nada, a harmonia e não o puro caos?  Quem imprimiu leis ao mundo da energia e da matéria? Para onde vai tudo isto? Qual o sentido de tudo existir? Como surgiu a vida? Como surgiu a vida inteligente? E para quê? E este ser misteriosíssimo, que é o homo sapiens? Por que somente ele tem inteligência reflexa? E esta sede de sentido e de infinito que habita o seu coração? E a dor, o amor, a solidão, a sede da verdade, o visceral inconformismo diante da morte como destruição total do ser? Tudo isto é liquidado pelo sr. “Mayor” com uma resposta “menor”, menorzinha, mesquinha: “Para mim, não há lugar para Deus no universo”…

Como me decepciona e entristece ouvir da boca de um homem de ciência uma resposta tão rasa! Queira Deus, na Sua infinita sabedoria e invencível misericórdia, que haja um lugar para o sr. Mayor no Céu…

Dom Henrique Soares da Costa
Bispo de Palmares

Fonte: http://visaocristadomhenrique.blogspot.com/2019/10/do-mayor-uma-ideia-menor.html